“De Portugal, a cidadania dos mortos foi o seu único visto de residência.”

Chegados a Lisboa em junta médica, Cartola e Aquiles descobrem-se pai e filho na desventura, sobrevivendo ao ritmo da doença, do acumular de dívidas e das cartas e telefonemas trocados com a família deixada em Luanda. Até que num vale emoldurado por um pinhal, nas margens da cidade mil vezes sonhada pelo velho Cartola, encontram abrigo e fazem um amigo. Será esta amizade capaz de os salvar? “Se o entendimento entre duas almas não muda o mundo, nenhuma ínfima parte do mundo é exactamente a mesma depois de duas almas se entenderem.” Luanda, Lisboa, Paraíso, o segundo romance de Djaimilia Pereira de Almeida, é o balanço tocante de três vidas simples, em que esperança e pessimismo, desperdício e redenção, surgem lado a lado numa sequência de tableaux sombrios, doces e trágicos.


2018    Companhia das Letras (Portugal)

* Prémio Literário Fundação Inês de Castro 2018 * 

“Luanda, Lisboa, Paraíso, imaculadamente escrito, é mais atento aos outros, mais ficcionado, mais triste e comovente.”

Pedro Mexia, Expresso


“Dita prova de fogo, Luanda, Lisboa, Paraíso confirma uma voz singular.”

Sílvia Souto Cunha, Visão


“A escrita de Djaimilia Pereira de Almeida é uma escrita-dom, o que não implica que não seja sublimada pela escolha da palavra certa na composição da frase justa, atravessada pelo sentimento, enformada pela inteligência viva e o saber sobre o que escreve.”

Maria do Carmo Piçarra, Diário do Alentejo


“O novo livro de Djaimilia Pereira de Almeida pode ser visto como a grande saga dos africanos lusófonos imigrados para Portugal após a queda do Império.”

Miguel Real, Jornal de Letras


Luanda, Lisboa, Paraíso oferece uma visão fundamental do mundo em que vivemos.”

Ronaldo Bressane, Estadão

 

Pode encontrar os meus livros online na FnacWook e na Fundação Francisco Manuel dos Santos

You may find my books online on FnacWook, and on Fundação Francisco Manuel dos Santos.